sábado, 3 de abril de 2010

Portugal-país sem memória

A SIC passou no noticiário das 13 horas, uma reportagem acerca dos ex-combatentes da guerra colonial agora, sem abrigo.

Esta situação é indigna, depois do 25 de Abril, os ex-combatentes passaram a ser vexados pelo poder, apontados como trouxas, os bons, eram aqueles que fugiram, após a "revolução dos cravos", apresentados como heróis. A maior parte deles fugia porque tinha medo.

Nenhum de nós queria ser herói, também tínhamos medo mas, não fugimos, fomos por razões várias, acatámos as ordens do governo que tínhamos, pretendíamos simplesmente, ir e voltar.

Ficamos indignados por saber que portugueses cumpridores, estão a ser maltratados pelo governo, o mesmo que acolhe solidariamente cidadãos estrangeiros, de origens diversas a quem subsidia e apoia.

Exigimos tratamento condigno a todos os ex-militares portugueses que souberam dignificar o nome de Portugal.

3 comentários:

  1. O meu veemente apoio às tuas palavras que corroboro. Neste País de curta memória com governantes que nada mais enxergam que o seu umbigo, só uma valente esponja lavaria estes incompetentes e um historiador digno do seu nome enalteceria o valor daqueles que até com a própria vida dignificaram o nome de Portugal nos seus territórios africanos...

    ResponderEliminar
  2. Caro amigo Luís Cabral

    Essas imagens passadas na SIC, referente aos EX. COMBATENTES, é um atentado à dignidade do ser HUMANO, mas infelizmente é o espêlho dos Politicos que tivemos e temos ao longo dos nossos tempos, eles esquecem-se que esses EX. COMBATENTES ARRISCARAM AS SUAS VIDAS COM, SANGUE SUOR E LÁGRIMAS PELA SUA PÁTRIA.(eles nem sabem o que é isso)Alguns politicos até fugiram para o estrangeiro, para não enfrentarem a GUERRA NO ULTRAMAR PORTUGUÊS, e hoje,alguns dos senhores politicos vivem à sombra da bananeira com reformas chorudas.


    João Celestino

    ResponderEliminar
  3. E...é esta a ditosa Pátria minha amada?!?!?!?!?!
    ass.:UM COMBATENTE sem-abrigo/setressado de guerra

    ResponderEliminar