terça-feira, 29 de novembro de 2011

Miko e companhia em tempo de férias

Em tempo de férias, o Lucunga ficava para trás... em Luanda com clima propício, as férias eram agradáveis, a praia convidativa, na ilha, no paradisíaco Mussulo com mariscos baratos e cerveja fresquinha, maravilha...
Na foto, os ainda meninos, Miko e companheiros, posando para a fotografia... boa vida.

domingo, 27 de novembro de 2011

Miko+Fafe+Coelho

3 amigos e companheiros, passeando nas terras do Lucunga, o Miko e o Fafe enfermeiros, acompanhados do algarvio de Portimão, o cripto Coelho.
No local da foto, existiam os monumentos das Companhias que nos antecederam e o mastro da bandeira nacional, onde se procedia diárimente, ao ritual do hastear e arrear da bandeira.

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Miko a receitar

Na enfermaria o Miko era tudo, enfermeiro, médico, escritor ... na foto, no seu gabinete de luxo, provavelmente estava a escrever para a família .
Nos tempos que correm os militares têm tudo, ar condicionado, bons ordenados, mordomias inimagináveis nos tempos da guerra colonial... como nós sofremos.


quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Miko e outro companheiro


O Miko (Firmino) com outro companheiro, sentados junto da enfermaria. O Miko, grande amigo dos animais, empresta a sua perna, como almofada, à amiga cadela...claro, havia cão por perto.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Selos de Angola








O pessoal da CART 3451 utilizava normalmente os aerogramas, fornecidos pelo MNF mas, as cartas eram mais seguras e rápidas.

Os selos eram fundamentais, tinhamos de dar notícias à família... para recordar, os exemplares acima eram bem conhecidos dos companheiros.

sábado, 19 de novembro de 2011

Metralhadoras

Na EPA em Vendas Novas, a metralhadora "Breda", montada num "Land Rover", serviu para tirar a foto.

No Lucunga, as metralhadoras eram outras, cada grupo dispunha duma MG42, armas recebidas em Luanda, obsoletas, utilizadas na 2ª guerra mundial. No 4º GC , o apontador de metralhadora era o Matos, sofreu imenso no mato, com os pentes enrolados ao corpo, a arma nas mãos, pesadíssima, inadequada à situação. Aproveito para lembrar, prestar homenagem, ao saudoso amigo, companheiro de Viana do Castelo, pela forma como se comportava, pela sua postura, pelo seu carácter, honestidade e companheirismo,

Perto do fim da comissão recebemos metralhadoras HK21, mais ligeiras e funcionais.

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Atríbutos de Miss Universo

Mais uma foto de Leila Lopes, Miss Angola e Universo 2011, bons argumentos para títulos tão importantes... companheiros, arregalai os olhos... o pessoal ainda mexe, como diz o Beka.

terça-feira, 15 de novembro de 2011

EPA - Vendas Novas

Na EPA, Vendas Novas, em época de instrução, não imaginava como seriam longas as minhas andanças no serviço militar.
Quem cumpria a tropa em Portugal, fazia-o durante 40 meses mas, para quem tinha a desdita de ser mobilizado, não havia limites, comigo foram 52 meses...roubados à minha juventude...


domingo, 13 de novembro de 2011

O camuflado


Outra foto no Lucunga, ao meu redor, o capim, vegetação que acoitava tudo...bicharada e o IN... o camuflado era a roupa adequada para nos confundirmos com a natureza, na Companhia não havia abandalhamento no trajar...

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Cortegaça-mais uma semana de campo



Antes de ser mobilizado, estive 1 ano em Espinho, no GACA 3, a dar instrução. A foto é de mais uma semana de campo, fiz 4 na Cortegaça, uma por cada turno, sou o mais alto da fila de trás, ao centro. Tinha feito tudo para evitar a mobilização, nesta altura, estava longe de imaginar que iria parar ao Lucunga ...

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Miko+Jovino+Lima

Outra foto do Miko na mata, com os companheiros Jovino de Moledo do Minho e Lima de Cabo Verde, bons amigos.

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

O Miko e os gatos...


Cães e gatos abundavam no Lucunga, o Miko gostava de cuidar da bicharada fazendo parelha nessa tarefa, com o Lameira e outros companheiros.

sábado, 5 de novembro de 2011

Miko e a bicharada...

Mais uma foto do Firmino (Miko), tirada nas traseiras das casas do Lucunga. A bicharada, cães e gatos, eram a sua predilecção.

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

ccac106-lucunga




Caldas da Rainha, Sexta-feira, 28 de Outubro de 2011

Antigos militares reuniram-se nas Caldas para relembrar tempos vividos em Angola

“Fortes e Audazes”. Era este o lema da companhia de caçadores C.Caç.106 de Lucunga, no norte de Angola, nos anos de 1969/1970. Um lema que continua bem vivo na cerca de duas dezenas de antigos militares que se reuniram no passado sábado, dia 22 de Outubro, em mais um almoço convívio, no Salão Milénio, nas Caldas da Rainha.Um encontro que serve “não só para relembrar as coisas boas, mas também as menos boas e as coisas más”, explicou à Gazeta das Caldas o então capitão desta companhia, António Cardoso.São muitos os encontros deste tipo que se multiplicam pelo país, mas na grande maioria dos casos os convívios fazem-se para juntar de novo homens que ainda moços tiveram que deixar o seu país para combater na Guerra do Ultramar. Não é o que se passa neste caso. A C.Caç.106 era uma companhia de recrutamento local baseada em Lucunga. “Era um efectivo de pessoas que viviam em Angola, alguns nascidos e criados lá, outros idos para lá muito jovens”, contou o capitão. E quando o serviço militar acabou, muitos foram os que continuaram em Angola.Neste sexto encontro da companhia, nas Caldas da Rainha, trocaram-se memórias entre os presentes, vindos de vários pontos do país, e recordaram-se os ausentes. E a escolha da cidade, onde pretendem continuar a encontrar-se, prende-se com a centralidade e as acessibilidades. “É fácil encontrarmo-nos aqui, tanto para quem vem do Norte, como para quem vem do Sul”, refere António Cardoso.O responsável pela reunião anual é Abel Anjos, um lisboeta radicado há muitos anos nas Caldas da Rainha e que não quer deixar morrer esta tradição. “Criam-se amizades muito fortes”, diz. E há três sentimentos muito importantes nestes encontros: nostalgia, orgulho e camaradagem. Que o diga Olímpio Alegre Pinto, alferes da companhia que sucedeu à C.Caç.106.“Aquilo que para mim é mais importante entre os militares é o sentimento de camaradagem, que ainda se mantém tantos anos depois e que é de extraordinário valor”, disse ao nosso jornal. “Atrevo-me a dizer que só quem combateu na guerra e teve a responsabilidade de ter soldados, militares seus, numa situação em que todos dependem de todos, é que pode sentir verdadeiramente o que é a camaradagem”, acrescentou.Um almoço e uma tarde de convívio marcaram o encontro anual, que em 2012 deverá realizar-se de novo nas Caldas da Rainha. Entre reuniões, os antigos militares vão mantendo vivas as memórias dos tempos passados em África em ccac106-lucunga-196970.blogspot.com.
Joana Fialho

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Viana do Castelo-hoje




Locais que marcaram a passagem do pessoal do BART 3860/CART 3451 por Viana do Castelo, a praça onde se realizou a cerimónia de despedida e a Av. dos Combatentes da G. Guerra, onde desfilou o batalhão para se despedir da cidade.