segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

FELIZ 2013

Feliz Ano 2013 para todos os companheiros, familiares e amigos dos FALCÕES da CART 3451/BART 3860 .

sábado, 29 de dezembro de 2012

Uíge, hoje-14

Novo hotel do Uíge
Angola está pujante... no Uíge há novo hotel, com óptimas condições, o Cardoso ficou aqui alojado, com a família. A piscina é fundamental, em terra de muito calor.

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Uíge, hoje-13

Piscina do Uíge


O Cardoso entrou na piscina, o aspecto não é o melhor, mal cuidada, muita erva...melhores dias virão, para este equipamento tão procurado naquela época. 

terça-feira, 25 de dezembro de 2012

BOAS FESTAS do Álvaro Pacheco (Fafe)

Recebemos do Fafe (Álvaro Pacheco) este bonito cartão de BOAS FESTAS. Ao nosso companheiro e amigo, a toda a sua família, desejamos muita saúde e felicidades.

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

FELIZ NATAL

FELIZ NATAL para todos os companheiros, famílias e amigos da CART 3451 / BART 3860.

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Uíge, hoje-12

Piscina do Uíge
O nosso companheiro Cardoso (Beka), na sua viagem ao Uíge, percorreu os sítios por nós frequentados durante os períodos de lazer em Carmona (Uíge). Assim, não podia deixar de passar pela piscina, óptima na época...a foto é da fachada . 

sábado, 15 de dezembro de 2012

Boas Festas - Ernesto Pereira da Silva

video
Recebemos este bonito cartão de BOAS FESTAS do nosso companheiro Pereira da Silva (Ernesto), Presidente da Junta de Freguesia de Vila Chã de Sá. Retribuímos as BOAS FESTAS extensivas a toda a sua família .

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Uíge, hoje-11

Outra foto do Uíge com o hotel Apolo ao fundo, tudo parece bem cuidado e preservado, bonito.

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Uíge, hoje-10

Vista parcial duma rua da cidade do Uíge, imagem recolhida pelo nosso companheiro Alberto Cardoso (Beka).
Com agrado, verifico que a rua está cuidada, sem buracos e asseada, em prefeito contraste com as imagens que recebemos de África... afinal, os portugueses deixaram bom rasto.

domingo, 9 de dezembro de 2012

Encontro de FALCÕES

O confrade e nosso companheiro Pereira da Silva (Ernesto), acompanhado dum árabe e duma ave de rapina, provavelmente, um FALCÃO ...um encontro de FALCÕES.

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Uíge, hoje-9

Centro da cidade do Uíge, ruas bem cuidadas e vivas...Angola, no seu melhor.

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Uíge, hoje-8

A família do nosso companheiro Beka, ao fundo o famoso edifício dos CTT, ex-libris da cidade do Uíge.

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Uíge, hoje-7

     

Cidade do Uíge, bem cuidada, limpa, um encanto. Ao fundo, o edifício dos CTT, onde passei horas sem fim à espera dos telefonemas para casa. As comunicações, na época, eram um tormento, no norte, só era possível telefonar de Carmona ( Uíge ), as ligações eram confusas, com eco, uma desgraça, felizmente, houve um avanço tecnológico impressionante, hoje, é possível telefonar de todo o lado, até do Lucunga, donde já recebi correio electrónico...fantástico.

sábado, 1 de dezembro de 2012

Uíge, hoje-6

Outra foto do Beka, nas ruas do Uíge, acompanhado das filhas, revendo sítios frequentados pelo pessoal da CART 3451, há 40 anos, como o tempo passa...

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Uíge, hoje-5

Outra foto do Beka, com a princesa ao colo, junto do restaurante, na frente do hotel Apolo, na cidade do Uíge.

terça-feira, 27 de novembro de 2012

A verdadeira ave de rapina - O FALCÃO

Num sítio de FALCÕES, não pode faltar a verdadeira ave de rapina que, deu o nome ao BART 3860 e à CART 3451.
Esta foto foi desviada do blogue do meu amigo Alfredo Moreirinhas.

domingo, 25 de novembro de 2012

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Uíge, hoje-3



As mulheres do Beka passeando no Uíge. Atrás delas, ficava o restaurante onde costumávamos comer, na frente do Hotel Apolo.

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Uíge, hoje-2

O nosso companheiro Beka, passeando nas ruas do Uíge levando a princesa ao colo...há 40 anos todos nós andávamos por ali...como o tempo voa.

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Uíge, hoje-1


Quem não se lembra do Hotel Apolo, na época um bom hotel, agora, o aspecto não é o melhor mas, ainda lá está.

sábado, 17 de novembro de 2012

O baú do Fafe-4

Para mais tarde recordar, foi elaborado um livro do Batalhão (BART 3860). Nesse livro conta-se a história do Batalhão desde Vila Nova de Gaia (RAP 2) até ao fim da comissão. O BART 3860 era constituido pelas Companhias, CCS (Damba), CART 3450 (Chimacongo/Pete Cusso), CART 3451 (Lucunga/Lembôa), CART 3452 (Mucaba). Os factos mais importantes que ocorreram, os nomes e origem de todo o pessoal, é mencionado no livro, os "FALCÕES" fizeram história, nas terras do café, no Uíge.

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

O baú do Fafe-3

Mais uma relíquia do baú do Fafe, o seu cartão de vacinação. Muitas vacinas foram tomadas pelo pessoal da Companhia, de entre elas, recordo-me, da vacina contra a doença do sono. No Grafanil, todo o pessoal deitado, de rabo para o ar, 1º desinfetaram, 2º espetaram a agulha, 3º com uma seringa enorme, foram dando a dose um a um, 4º retiraram as agulhas, 5º voltaram a desinfetar. Após a vacinação, ficámos 30 minutos de rabo para o ar, deitados no chão, coisa de loucos... muito sofreram os militares portugueses...para nada.

terça-feira, 13 de novembro de 2012

O baú do Fafe-2

Louvor do Fafe
No fundo do baú, o Fafe encontrou o seu louvor. Os militares cumpridores e aprumados eram distinguidos depois de cumprirem a sua missão.

domingo, 11 de novembro de 2012

O baú do Fafe-1

O tabaco mais fumado em Angola na época, o preferido do Fafe. O serviço militar era uma escola de vícios, aprendia-se a fumar, a beber, a jogar...enfim, nada de bom.

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

No Vera Cruz

 
No Vera Cruz, com o Reis Pinto. No lado direito da foto, andando e fumando, podemos ver o Lopes, um companheiro alentejano de Évora que, se viria a revelar durante a comissão, um exímio jogador de póker. Este companheiro, nunca mais apareceu, foi impossível a sua localização, para o mobilizar para os nossos ENCONTROS anuais. Gostávamos de rever o Lopes, ficamos na expectativa de notícias suas .

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Até sempre companheiro





Faleceu em Lourosa, sua terra natal, o nosso companheiro Oliveira,  cozinheiro do rancho.
O funeral realizou-se hoje, dia 30 pelas 16h00 em Lourosa, em representação de todos os companheiros da CART 3451, estiveram presentes o Marques e esposa, Azevedo, Egídio, Santos Silva, Mota, Ribeiro e esposa, Primo Fernandes e Nogueira que apresentaram condolências à família e participaram no funeral.

O Oliveira era um homem bom, calmo, trabalhador, amigo de todos.

Na foto, tirada no nosso ENCONTRO 2012, o Oliveira está na fila de trás, de camisola verde batendo palmas, ao lado do neto que sempre o acompanhava e apoiava..

Até sempre Oliveira.

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

A mata demolidora...

A mata era terrível, o ambiente hostil à nossa tropa... mosquitos, bicharada, ração de combate, eram ingredientes demolidores. Na nossa zona, havia sítios muito bonitos, paradisíacos até, pena terem sido conhecidos naquelas circunstâncias... vivi na serra da Mucaba, uma tremenda tempestade tropical, superior aquilo, seria o diluvio.

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

A jangada do Coji

 
Todos os companheiros se lembram da jangada do Coji, nela atravessávamos o rio para a margem esquerda, a caminho de Carmona. Neste local, tínhamos um destacamento.
Mais tarde, tivemos a ponte, construída pela JAE, com a protecção da CART 3451. Havia imensa fauna na zona, ao fim da tarde, chegava o hipopótamo, ao lamaçal da outra margem, o Malaquias nunca se esquecia de me informar da sua chegada. Passeavam à nossa volta aves, elefantes e outra bicharada de grande porte, sempre vivi intensamente essas situações...era fantástico.

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Na Lembôa com o Brás

Na Lembôa com o Brás, almoçando no varadim da messe. O sítio era agradável, fazia calor, a humidade atmosférica era elevada, as Cucas e as Nocais não podiam faltar.
O Brás aparece raramente nos ENCONTROS, penso que contínua a viver em Mira, temos de o mobilizar...

terça-feira, 9 de outubro de 2012

O cais de Alcântara

Era do Cais de Alcântara que os militares portugueses partiam rumo ao desconhecido. A partida era dolorosa, o choro das famílias no cais, fazia-se ouvir, lá longe. O pessoal da CART 3451 foi no Vera Cruz, a viagem demorou 10 dias, o navio ficou ao largo, o desembarque foi no dia seguinte, havia cólera em Angola.