sexta-feira, 30 de abril de 2010

Santar-Nelas na Mucaba

(clicar na foto)

SANTARENSES A CAMINHO DE MUCABA

Quando cheguei a Mucaba, ouvi uma voz a chamar "JOÃO" aquela voz era-me familiar, olhei, e vi o meu amigo e conterrâneo (Santar-Nelas) Fernando Corgas, que me estava a chamar,e simultâneamente disse-mos um para o outro, tu por aqui ? momentaneamente passou-me pela minha mente, tu vais regressar e eu não sei ?, demos um abraço e ele disse-me vai buscar a tua mala, assim o fiz, acompanhei-o até a sua camarata, junto a uma cama disse-me esta é a minha cama e podes ficar com ela, e eu retorqui-lhe e tu aonde é que vais dormir ? não te preocupes que eu desenrasco-me, (só ao fim de 38 anos é que eu tive a curiosidade de saber, aonde é que ele ia pernoitar até ir para Luanda), vocês gostavam de saber ? mas hoje fico-me por aqui.

Como gosto imenso de figos secos, eu tinha levado um saco deles e duas garrafas de aguardente, como o amigo Corgas já tinha saudades de comer uns figuitos e beber uma excelente aguardente, à que saborear, resultado foi ingerida uma garrafa de aguardente e os figos nem um ficou para a amostra do dia seguinte, quando nos encontra-mos, ainda me fala nos figos e na aguardente.

Não tinha sido colocado na Companhia um Vague mestre, e só 3 meses depois é que chegou a Mucaba, e fiquei deveras surpreendido ser o meu conterrâneo Furriel Gil, às vezes penso que, nasci numa Vila tão pequena e como foi possível estes três elementos passarem por Mucaba num curto espaço de tempo, de Angola todos nós regressa-mos felizmente.

Para todos os "FALCÕES" um abraço.

João Celestino

Nota:- Na foto é um Helicóptero de apoio, Furriel Gil e Celestino.

quinta-feira, 29 de abril de 2010

O combate ao calor no Lucunga


(clicar na foto)
Estes dias de calor fazem-me lembrar os dias quentes do Lucunga. No espólio fotográfico do Mico, encontrei esta foto de combate ao calor.
O Carvalho e o Mico não encontraram outro sítio para se refrescar, foram ao telhado, usaram o depósito da água da enfermaria. Esta situação, deve ter acontecido após a chegada da água ao Lucunga, perto do fim da comissão.
Este tipo de brincadeiras criaram grande aproximação entre todos os companheiros, depois da banhoca vinham as cervejocas, os jogos de toda a espécie e o tempo lá ia passando.

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Símbolos da CART 3451

(clicar na foto)
Quando se formou o Bart 3860 foram criados os estandartes das Companhias, em Viana do Castelo, no Forte de S. Julião da Barra, o pessoal teve oportunidade de comprar as miniaturas.

Embora em mau estado o estandarte ainda existe, foi objecto de brincadeira dos meus sobrinhos e do meu filho mas, resistiu.

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Alberto Cardoso-Salinas de Porto Amboim

(clicar na foto)

Aqui temos o nosso amigo Bekas junto às salinas de Porto Amboim. Gosto de saber que este nosso companheiro anda passeando e gozando as belezas de Angola.

Qualquer dia irá visitar o Lucunga... esperamos pela reportagem fotográfica.

domingo, 25 de abril de 2010

25 de Abril


A revolução de 25 de Abril teve origem numa questão corporativa, os militares oriundos da Academia, sentiam-se maltratados pelo regime. O povo português foi a reboque, aderiu imediatamente sedento de liberdade.
Acabou a guerra colonial, mal ou bem fez-se a descolonização, o povo deixou de ter mordaça, os direitos foram ampliados, os portugueses passaram a ter esperança no futuro.
Os anos foram passando, com a adesão à Comunidade Europeia, vieram os fundos que ajudaram a desenvolver o país e o património de políticos sem escrúpulos.
Os políticos foram-se multiplicando, os escândalos também, o povo começou a ver esfumar as esperanças abertas em Abril de 1974.
Chegados a 2010, 36 anos após a revolução, a desilusão é total, nada funciona. A justiça é uma vergonha, os corruptos são ilibados, os administradores de empresas públicas e privadas, levam legalmente fortunas para casa, até ofensivas para o comum dos cidadãos.
A fome entrou na casa de muitos portugueses que deixaram de ter emprego, o desemprego chegou aos 600.000, a alternativa é a emigração como no tempo do Estado Novo.
Face à situação caótica a que se chegou, é preciso fazer alguma coisa, inverter as políticas, criar uma classe dirigente honesta e capaz.

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Twitter e Facebook

Boa noite, caros Veteranos,
A equipa do UTW criou mais duas “frentes” de divulgação no:
Twitter (t) e Facebook (f Partilhar) (este, requer registo) – para acederem, basta clicarem nos seus ícones existentes na página de entrada do portal, no canto superior esquerdo, junto ao logótipo do UTW – http://ultramar.terraweb.biz
Saudações veteranas
A equipa do UTW

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Vinho "FALCÕES do Lucunga"

(clicar na foto)
A CART 3451 contínua actuante, os enólogos desenvolveram um vinho tinto, suavemente frutado a mamão do Lucunga, óptimo para acompanhar os repastos dos combatentes.
A apresentação da "Colheita 2009" foi em Turquel, a "Colheita 2010", em Leiria.
Na próxima colheita, o enólogo responsável é o Ferreira, a qualidade continuará superior para regalo dos FALCÕES do Lucunga.

A determinada altura, quando ia para operações, passou a ser meu hábito, levar uns franguitos assados pelo civil do Lucunga, partidos em pedaços, embrulhados em papel de estanho e transportados numa caixa.
Claro, para acompanhar os frangos que eram óptimos, levava umas garrafas "Dão-Terras Altas".

Assim, acabei com as rações de combate, já nem as podia ver, com esta nova dieta, aguentava melhor o esforço despendido na mata.

terça-feira, 20 de abril de 2010

Mucaba-Os falsos doentes


(clicar na foto)
OS FALSOS DOENTES EM MUCABA

Os indígenas semanalmente, vinham duas vezes ao Mercado de Mucaba, a fim de venderem os produtos das suas lavras, ao fim das suas vendas e sistematicamente dirigiam-se à porta do Quartel, e informavam o Sentinela que se encontravam doentes, e ficavam ali em fila indiana aguardando a sua vez de chamada, isto era cerca de 50 a 60 pessoas, o Dr. quando via aquela fila lamentava-se dizendo " se ao menos estivessem doentes ? mas é que eles não estão, o que eles querem é levar medicamentos para dar " "MATA", mas todos eles eram consultados atenciosamente, como era o perfil do Dr., ouvi algumas vezes a dizer se o MVL não vem alguns medicamentos acabam.

No Quartel havia cerca de 6 cães e uma cadela "java" o seu nome, frequentava o espaço da Messe de Oficiais, e quando via algum negro dentro do Quartel ela atacava-o, ao principio da nossa chegada a Mucaba alguns Camaradas de Armas Caboverdianos, que eram mais morenos do que os Continentais tiveram problemas com ela, mas ela depois adaptou-se.

Um dia a "java" entrou na cozinha da Messe, e eu para a castigar passei-lhe pelo focinho um pouco de gindungo saindo a correr, quando o Dr. regressou à Messe para almoçar disse-nos que não sabia o que se tinha passado, havia cerca de 50 doentes à espera de consulta e que apenas atendeu 11 ou 12, 3 que foram mordidos pela java, e os restantes estavam mesmo doentes, desconhecendo o que se tinha passado com os restantes, creio que isto aconteceu uma ou duas vezes.

Eu creio que foi o Pessoal da Saúde que mais prestigio deu à Cart. 3452, com o seu trabalho diário de tratar os doentes e n/doentes, com a Psico, irem às sanzalas buscar e levar doentes, foi uma parte meritória.

Para eles e todos os "FALCÔES" um abraço

João Celestino
Nota:- na foto a cadela java, mas o mais engraçado é que todos os negros, queriam trocar um cabrito ou um leitão, por um filho/a desta.


segunda-feira, 19 de abril de 2010

MVL (Movimento de viaturas ligeiras)

(clicar na foto)

Foi de MVL (Movimento de viaturas ligeiras) que viajámos de Luanda até ao norte e vice-versa, era de MVL que se fazia o reabastecimento das Companhias.

Fizemos muitas colunas a Chimacongo, ao Bembe e ao Songo, o pó era muito no tempo seco, quando chovia era atascadeiro pela certa.

Um dia uma viatura do MVL virou-se, partiram-se muitas garrafas, estragaram-se muitas coisas mas, foi providencial esse acidente, estávamos perto do fim da comissão, essa situação permitiu o acerto das nossas contas.

Na altura era o responsável da cantina, nem o facto de ser o mais antigo da Companhia me safou, o cantineiro era o Matos, de Viana do Castelo, grande amigo, infelizmente já desaparecido.

A Companhia do Quivuenga do RI 20 que nos rendeu, também beneficiou da situação corrigindo as suas contas.

domingo, 18 de abril de 2010

Futebol no Lucunga

(clicar na foto)
Esta tarde fui ao futebol, a minha BRIOSA perdeu, já estou habituado mas, resta-me a consolação de que jogámos bem.
O futebol que temos é pura aldrabice, os ditos "grandes" têm de ganhar sempre, quando a coisa corre mal, o árbitro ajuda.
O jogo desta tarde fez-me lembrar as tardes de futebol no Lucunga, normalmente debaixo dum sol escaldante, o pessoal tinha estofo para aguentar, os vinte e tal anos davam para tudo.
Na foto, quem conduz a bola é o Santos Silva, eu acompanho a jogada, atrás o Ribeiro vigia, enquanto o Gil se apronta para a intercepção, grandes jogos, os do Lucunga.
A Sanzala serve de pano de fundo.

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Mucaba-A panela de pressão

(clicar na foto)
MANUEL MOREIRA, E A PANELA DE PRESSÃO .

Na Messe de Oficiais, a ementa era bacalhau cozido c/grão de bico,batata cozida e ovos,pus o grão de bico a cozer na panela de pressão e digo ao meu ajudante que era o Moreira, que quando a panela começa-se a ferver (fazer barulho) que reduzi-se o gás para metade, porque eu tinha de ir ao posto de rádio, quando regressei e dirigi-me à cozinha, vi o grão de bico espalhado por todo o lado, abaixado encontrava-se o Moreira a apanhar o grão para um alguidar, perguntei-lhe o que tinha acontecido, e ele respondeu-me que a panela começou a perder o vapor pela tampa, e que a abriu para a compor, e ao mesmo tempo a tampa saltou e o grão se espalhou, eu só lhe disse, hoje foi o teu dia de sorte, neste momento poderias estar todo queimado, há que apanhar o grão de bico lava-lo e po-lo novamente na panela.

Para todos os "FALCÕES " UM ABRAÇO

João Celestino

Na Foto:- O Moreira é acompanhado pelo Cozinheiro Coelho, levam a prova do almoço ao Sr. Comandante e na sua retaguarda o Celestino.
Ao fundo, lado esq. é onde se encontra as transmissões, estando junto ao gerador, o Cabo Guimarães, Pais e o Lucas .
O edifício ao fundo sobre a direita c/chaminé é a padaria.

quinta-feira, 15 de abril de 2010

A minha foto de eleição

(clicar na foto)

Esta é a minha foto de eleição, lembro-me perfeitamente da situação, acho os meninos um encanto, acima de tudo, mostra a capacidade nata, para a música e para a dança dos povos africanos.

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Ferreira-um homem com sorte


O Ferreira é o último da esquerda para a direita.
(clicar na foto)
Na "22ª intervenção", em Quindona, foi avistado o IN, andava ao "malavi", bebida extraída da palmeira. O homem desapareceu entretanto, fomos sobrevoados pelo DO-27, no qual se deslocava o comandante de operações Alves de Sousa que referenciou umas lavras, junto ao Bite-Bite. Para lá nos encaminhámos, detectando um trilho onde se viam pegadas frescas.
Nesse trilho, já depois de termos andado várias horas, o Ferreira, teve a sorte incrível de pisar uma mina anti-pessoal, rebentando só o detonador. Estávamos perto dum acampamento. Acercamo-nos, o IN procedia ao arranjo de uma das 10 cubatas do acampamento, na margem dum afluente do Bite-Bite. O IN escapou, foram despejadas muitas munições e algumas granadas de mão. Mais tarde, procedeu-se à destruição de mais 7 cubatas na outra margem do tal afluente.

domingo, 11 de abril de 2010

Lucunga - Notícias


(clicar na imagem)
UígeAdministrador incentiva ao incremento da produção agrícola no Bembe

Uíge - O administrador municipal do Bembe, província do Uíge, José Bunga Alberto, incentivou quarta-feira, os munícipes da comuna de Lucunga ao incremento da produção agrícola, tendo em vista o combater à fome no seio das comunidades rurais.

De acordo com José Alberto, que falava durante o acto provincial do 34º aniversário da independência nacional, na comuna de Lucunga, 44 quilómetros a nordeste da sede do município do Bembe, é fundamental que a população se organize em associações e cooperativas de camponeses, com objectivo de elevar os índices de produção agrícola a curto prazo.

Reafirmou que o governo está preparado para prestar apoio material, em crédito bancário e disponibilização de instrumentos de trabalhos aos camponeses caso estejam organizados em cooperativas e associações.

Uíge é constituído por 16 municípios, sendo a província do país com o maior número destas unidades administrativas. Os municípios são Ambuíla, Bembe, Buengas, Bungo, Damba, Alto Cauale, Maquela do Zombo, Milunga, Mucaba, Negage, Puri, Quimbele, Quitexe, Sanza Pombo, Songo e Uíge.

Fica localizada no extremo norte de Angola, e suas fronteiras são: ao norte e leste, a República Democrática do Congo (Kinshasa), a sudeste, a província de Malanje, a sul, as províncias de Kwanza Norte e do Bengo, e a oeste, a província do Zaire.
Angop

sábado, 10 de abril de 2010

Os ex-combatentes

(clicar na foto)
MUCABA NÃO FOI UM SONHO, FOI UMA REALIDADE

Estava numa Praça sentado, e na minha rectaguarda existe um outro banco e aí sentaram-se 4 pessoas mas ainda jovens, e começaram a comentar a Guerra nas ex. Colónias Portuguesas, e por esse motivo despertou-me o conteúdo da mesma, (vou escrever as suas palavras textuais) o meu Pai passou as passas do Algarve na Guiné, desde ataques que tiveram, arrebentamentos de minas anti-carro e pessoais, além da fraca alimentação, um outro responde-lhe, isso é uma pura invenção para se tornarem heróis, foram passar dois anos de férias a África, um outro já um pouco exaltado diz alto e em bom som, não sejas injusto com os Ex. Combatentes, tu falas assim porque não tiveste lá familiares a combater, e qual seria a necessidade do Pai do António estar a inventar histórias para o seu Filho, eu virei a cara de lado e o jovem que falava um pouco exaltado já se encontrava de pé e perguntou-me o Senhor esteve no Ultramar ? eu respondi-lhe que sim, pediu-me para o ajudar a explicar ao seu amigo a verdade dos factos, expliquei-lhe que estive em Angola concretamente em Mucaba( não foi um sonho foi uma realidade) zona 100% operacional e o que se passava no inferno da Serra de Mucaba, e disse-lhe que teria alguma razão quando diz que os Ex. Combatentes passaram dois anos de férias em África, mas isso seria uma percentagem de 1%, que eram aqueles que tiveram a sorte de serem colocados nas grandes Cidades, e não saiam de lá para fazerem operações, e num acto de brincadeira ainda lhes disse o seguinte:-

Quando saíamos para uma operação, íamos devidamente bem instalados nos veículos todo terreno 4x4, com frigorífico, bancos almofadados, ar condicionado, mesas para o pic-nic na Serra de Mucaba (não havia rações de combate) era servido pelo pessoal do bar Kat-Kero, as armas G- 3 ficavam no Quartel porque eram incómodas, e eles começaram-se todos a rir, e disse-lhes que podem ficar um pouco mais ilucidados, que venham ao blog do nosso amigo Luís Cabral Cart. 3451, e fiquei a saber que o senhor que falou em férias chama-se João.

Nota:- Nesta fotografia, já se vê o inicio das dificuldades para se chegar à serra de Mucaba, o contraste do acima mencionado.

Um abraço para todos os FALCÕES

João Celestino

Defesa dos Ex-combatentes

O amigo F.Rita, dos Veteranos da C.Caç.1101/70, enviou-nos um endereço de vídeo da deputada Federal Brasileira, Cidinha Campos.

Era uma deputada destas, que os ex-combatentes gostavam de ver na Assembleia da República Portuguesa, uma mulher sem medo, capaz de enfrentar os corruptos e de defender as causas justas, daqueles que souberam honrar o nome de Portugal.
Ao invés, temos no nosso parlamento, gente acomodada que tem medo, incapaz de falar como Cidinha Campos.
No entretanto, somos agredidos, por gente que gravita na área do poder e se amanha escandalosamente, incapazes de justificar os milhões que levam para casa, EDP, Telecom, Galp entre outros, são exemplos.

Qualquer dia a mama acaba, tal é o desaforo.

Observem o silêncio que se fez enquanto a Deputada discursava!!!
É estarrecedor!!!
http://www.youtube.com/watch?v=G-SHAak_stc&feature=email

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Esteves-Pessoal das transmissões

(clicar na foto)
Foto do pessoal das transmissões, nela podemos ver da esquerda para a direita, Sousa, o saudoso Esteves, Soares sempre com o seu cigarrito, um camarada que não reconheço, Mangas, Nunes, Ferreira, em cima à viola o Coelho.
Todos voltaram, excepto o Esteves que faleceu num estúpido acidente. Nesse fatídico dia, devia ter ido comigo às fazendas mas, trocou com o Ferreira, ficou no Lucunga e a desgraça aconteceu.

O Esteves era um grande amigo, uma pessoa boa, sempre disponível, eu gostava muito dele aliás, todos gostavam muito deste companheiro, repousa no cemitério de Ranhados, Viseu, sua terra natal.

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Helicópteros


(clicar na foto)
Regularmente os helicópteros visitavam o Lucunga, eram utilizados no patrulhamento da bacia do rio M'Bridge, com grande eficácia.
Os helicópteros apoiavam as operações da 3451, nas mais diversas situações, quer transportando a tropa para operações quer evacuando pessoal da mata. Eu próprio fui evacuado do inferno da Mucaba, para o hospital da base do Negage, felizmente tudo correu bem.
Na foto, podemos ver além do Sousa, o Pereira da Silva, o Jovino, o Agostinho entre outros.

terça-feira, 6 de abril de 2010

Ex-combatentes

http://jn.sapo.pt/paginainicial/pais/concelho.aspx?Distrito=Lisboa&Concelho=Odivelas&Option=Interior&content_id=1536590

Responder
Partilhar: Email Facebook Twitter
denunciar este comentário »
Antigos combatentes em África sim certamente, mas devem ter combatido no lado errado da guerra, para serem assim tratados.O Manuel Alegre é também desse tempo, combateu que nem um herói principalmente a partir da rádio Argel e agora vejam- reformas, mordomias e ainda vai presidir a esta guerra toda, como merecem os cobardes e hipócritas.
(comentário à notícia dos ex-combatentes, sem abrigo, in JN de 6.4.2010)

Não posso deixar de publicar este comentário, ele reflecte a vergonha a que se chegou.
Os sucessivos governos após o 25 de Abril, nada fizeram para salvaguardar o futuro daqueles que obrigados, tiveram de participar na guerra colonial.
É certo, o país tem recursos limitados mas, os governos deviam ter prioridades, não se colocando em bicos de pés com obras megalómanas, solidariedades duvidosas enquanto, não se resolvessem os problemas dos verdadeiros portugueses que deram o melhor de si na juventude, por Portugal.

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Mamões do Lucunga

(clicar na foto)
Eram famosos os mamões do Lucunga, fruta muito apreciada por todos nós, muito doce e suculenta.
Na foto, o Sousa junto dum mamoeiro, havia alguns no Lucunga para delícia do pessoal.
Além dos mamões tínhamos outras frutas disponíveis, papaias, goiabas, mangas, ananás, bananas e muitas outras, a natureza é generosa naquela zona.

sábado, 3 de abril de 2010

"O águia do graveto"

(clicar na imagem)
O livro do nosso camarada FALCÃO Nogueira Baptista, está na berra, parabéns, Pinto da Costa gostou e aconselhou o Presidente benfiquista Filipe Vieira a ler.
Quem quiser conhecer a história do senhor Ferreira, o tal empresário e dirigente desportivo, pode encomendar o livro aqui; http://www.nogueirabaptista.com/

Portugal-país sem memória

A SIC passou no noticiário das 13 horas, uma reportagem acerca dos ex-combatentes da guerra colonial agora, sem abrigo.

Esta situação é indigna, depois do 25 de Abril, os ex-combatentes passaram a ser vexados pelo poder, apontados como trouxas, os bons, eram aqueles que fugiram, após a "revolução dos cravos", apresentados como heróis. A maior parte deles fugia porque tinha medo.

Nenhum de nós queria ser herói, também tínhamos medo mas, não fugimos, fomos por razões várias, acatámos as ordens do governo que tínhamos, pretendíamos simplesmente, ir e voltar.

Ficamos indignados por saber que portugueses cumpridores, estão a ser maltratados pelo governo, o mesmo que acolhe solidariamente cidadãos estrangeiros, de origens diversas a quem subsidia e apoia.

Exigimos tratamento condigno a todos os ex-militares portugueses que souberam dignificar o nome de Portugal.

sexta-feira, 2 de abril de 2010

Mina anti-carro


Um Unimog "Burro de mato" da CART 3451 accionou uma mina anti-carro na picada "internacional", tratava-se duma coluna de recolha de outras forças em operação, comandada pelo Cascais.
Embora levassem à frente a Berliet, com sacos de areia, acabou por ser a 2ª viatura a accionar a mina. O "Burro de Mato" foi pelos ares, despejando o pessoal que ia em cima, excepto o Granja da Costa que ficou abananado, por largo tempo.
O rebentamento provocou um buraco enorme na picada, com 5 metros de diâmetro e 1 e meio de fundo. A boa estrela protegia a CART 3451.