quinta-feira, 12 de agosto de 2010

O empobrecimento de Portugal-Nogueira Baptista

COM O ESTADO SOCIAL, ESTAMOS PREPARADOS PARA QUÊ?

Em 2003, quando o Dr. Durão Barroso foi nomeado Primeiro Ministro depressa descobriu que Portugal estava de tanga. Ainda se lembram de quanto este senhor foi invectivado por, feito criança, não ter conseguido ver que os cofres estavam repletos de ouro e se ter descaído, em desqualificação, que o rei ia de tanga. Ficou conhecido, pejorativamente, como o discurso da tanga.
A ministra das finanças Dra. Manuela Ferreira Leite, essa bruxa autoritária, decretou o combate ao défice público como prioridade, suspendeu a promessa de redução dos impostos e partiu, imediatamente, para o seu aumento e obtenção de receitas extraordinárias com a realização de vendas patrimoniais.
Na Presidência da República estava acampado o Dr. Jorge Sampaio que aproveitou a oportunidade para contrapor, em defesa do seu grupo de assalariados do Orçamento, que chapéus havia muitos, querendo dizer que existia mais vida para lá do défice! Toda a vida tinha sabido cavalgar os défices, não era o problema. Isso não era um problema do povo! Os políticos deviam saber superar esses desafios e de preferência sem grandes alardes, porque chamar a atenção para essas questões era desprestigiante para a república.
Só o Dr. Mário Soares se podia vangloriar de ter salvo o país da bancarrota, o Engº Guterres de ter salvo o país do pântano, o Dr. Vieira da Silva de ter resolvido o problema da sustentabilidade da segurança social e o Engº José Sócrates o de ser o maior paladino no combate ao défice. Se há heróis que não sejam desta cor, não é de bom tom lembrá-los porque atraem o azar!
Manda a prudência não deixar para amanhã o que pode ser feito hoje! Ora estes heróis nunca deram grande importância à produção, essa trave mestra da estruturação orgânica. Nem sabem o que isso é a julgar pelos ministros da Economia e afins que governam Portugal. Como empresários já tinham falido de todas as maneiras e feitios. A construção das casas começa pelos alicerces, após o respectivo plano de arquitectura ter sido aprovado pelos donos! O povo paga ou há-de pagar! O povo que trabalha, claro!
A linha de quem nos governa hoje iniciou-se em 1995, sobrecarregou Portugal de impostos relativamente às economias concorrentes, nunca teve uma politica de equilíbrio orçamental e tem horror a essa mesquinhez, usou e abusou do Estado para instalar o seu aparelho de controlo do poder. E por outra via, que é a da sucapa, ofereceu-nos o endividamento, um imposto sobre o futuro, facto consumado!
E o que ganhámos com isto? Resposta oferecida, pelo PM a 15 de Julho, no debate sobre o Estado da Nação: o Estado Social, o grande avanço civilizacional! Com o Estado Social, na versão do nosso PM, estamos preparados para quê?
Pelo ensaio que o PM tem evidenciado, estamos preparados para apelar à solidariedade social da Europa!
O mecanismo de empobrecimento está instalado e a funcionar. Só não produz, a seriedade, credibilidade e confiança de que tanto se fala!


Nogueira Baptista
www.nogueirabaptista.com

Análise lúcida do nosso companheiro "FALCÃO" da CART 3450 acerca do Estado Social... e do empobrecimento instalado. A falta de capacidade e de honestidade dos políticos portugueses, estão a levar o país à ruína.

Sem comentários:

Enviar um comentário