domingo, 10 de outubro de 2010

Ração de combate

(clicar na foto)

Comer dia após dia a ração de combate, era uma violência. O calor, o esforço físico, a tensão devido aos perigos da mata e do IN, a falta de água, tudo servia para nos tirar o apetite.

Um dia encontrei uma forma de minimizar o problema, encomendava uns frangos assados ao Moço, civil que entretanto se instalou no Lucunga, levava uns pães e umas garrafas de Dão Tinto "Terras Altas" e a mata suportava-se melhor.

O problema de sempre eram as noites passadas em claro, na mata nunca consegui dormir, ficava completamente arrasado fisicamente.

Na foto, recordo-me, estava a comer a ração de combate, à minha frente o Brás fazia o mesmo, a determinada altura, depois de comer, recostou-se, sentiu uma coisa passar-lhe por uma das mãos depois na outra, deu um salto assustado...era uma cobra.

Sem comentários:

Enviar um comentário