terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

O NOSSO S.P.M. (CORREIO) EM MÚCABA

A nossa maior ansiedade em Múcaba era a chegada da avioneta com o nosso correio, creio eu que seria assim em todas as Companhias, a avioneta ia oficialmente duas vezes por semana, mas os Pilotos quando faziam alguma viagem por ali perto, faziam o favor de fazer um desvio para nos entregar a correspondência.

Por motivos de segurança, o Piloto sobrevoava Múcaba à espera que alguém chegá-se à pista, os Militares, Pessoal da Administração ou até os civis.


Um dia havia uma operação marcha e não havia nenhuma viatura no Quartel, e o Piloto sobrevoava Múcaba mas não havia movimento de viaturas para a pista, o Piloto já dava indícios que se ia embora, e nesse momento o Cabo Carvalho da Ferrugem , vê o Jipe do Sr. Comandante junto à Messe de Oficiais e chama-me para irmos à pista num instante, o Piloto apercebeu-se da nossa saída do Quartel, o Carvalho começa a andar em alta velocidade (PREGO AO FUNDO) pela picada, numa curva despista-se e entramos pelo capim dentro, era só buracos de um lado e do outro, dava-mos cada salto e por pouco que não capotamos, fomos sair junto à porta do Cemitério de Múcaba e entramos novamente na picada, quando chegamos á pista o Piloto diz-nos vocês iam tendo um acidente ? o Carvalho responde-lhe com uma grande descontracção NÃO, NÓS É QUE VIEMOS POR AQUELE ATALHO, PORQUE ERA MAIS RÁPIDO, E O SENHOR IA-SE EMBORA COM O NOSSO CORREIO.

Nota:- Ao fim de 37 anos é que esta história é contada, um abraço para o Carvalho e não digas nada a ninguém.

João Celestino

1 comentário:

  1. Boa tarde sou filatelista e tenho um aerograma de 1963 do soldado Nº 564/62 (julgo ser barra ou 1 no seu numero) S.P.M. 3576 para a senhora Dra. Maria de Paiva Nazaré da Cruz Vermelha Portuguesa.

    Poderia o senhor me ilusidar sobre este aerograma qual a unidade o que significa o S.P.M. e quem seria a senha?

    O meu muito obrigado
    Respeitosamente
    José Serrano

    ResponderEliminar