segunda-feira, 9 de maio de 2011

Notícias do Lucunga

Antes da conquista da paz havia somente um centro médico que funcionava na sede o que preocupava as autoridades locais

Sector social do município em crescimento
valter GomesBembe - 07 de Maio, 2011
Fotografia: Filipe Botelho-Uíge
A construção de escolas, postos e centros médicos, estradas, pontes, centros materno infantis, residências para os funcionários e de sistemas de captação, tratamento e abastecimento da água potável, entre outras acções que visam a melhoria das condições de vida das populações do município do Bembe, na província do Uíge, asseguram o crescimento acelerado da região. A implementação dos Programas de Investimento Público de 2008/2009 e do Programa Municipal Integrado para o Desenvolvimento Rural e Combate à Fome e à Pobreza, ainda em curso, estão na base do surgimento de vários empreendimentos sociais que estão a mudar, para melhor, a vida das populações locais. Além disso, com a reabilitação das vias, a circulação de pessoas e bens no município é um facto. Actualmente, está em curso a reabilitação do troço que liga a sede do município à comuna do Quimaria, a 69 quilómetros de distância. O município beneficiou de um grupo gerador de 300 Kva e, neste momento, está a ser feita a colocação de postos para assegurar a iluminação pública nas ruas da vila. O projecto inclui também ligações domiciliárias a mais de 700 residências, unidades sanitárias, estabelecimentos comerciais, escolas, entre outras estruturas.
Cinco dezenas de novas escolas
O sector da educação no município do Bembe também tem vivido avanços significativos nos últimos três anos. O alargamento da rede escolar, que atingiu as duas comunas, Lucunga e Quimaria, regedorias e outras localidades de maior densidade populacional do município contribuiu, positivamente, na redução do elevado índice de crianças que se encontravam fora do sistema do ensino.Depois de alcançada a paz, em 2002, o sector da educação ganhou outro impulso, com a construção de 48 escolas, duas do primeiro ciclo de ensino, uma do segundo, 45 escolas primárias. No presente ano lectivo, foram matriculados cerca de 8.350 alunos, da iniciação à 12ª classe, cujas aulas são asseguradas por um total de 350 professores.
Saúde em expansão
Antes da conquista da paz, o município contava somente com um centro médico que funcionava na sede municipal, situação que preocupava as autoridades locais, atendendo a que muitos pacientes, que residiam nas áreas mais recônditas e distantes da sede, chegavam a percorrer a pé mais de 70 quilómetros de distância para receberem assistência médica. Hoje, o quadro sanitário do Bembe é completamente diferente. Actualmente, o município tem 14 unidades sanitárias, das quais quatro centros médicos, dois centros materno-infantis e nove postos médicos, distribuídos pelas comunas, regedorias e aldeias da região.Há dias, as populações de Bonde, Culo e Macoco beneficiaram de novas unidades sanitárias. São postos médicos com capacidade para quatro camas cada, um consultório, farmácia e casas de banho. Na sede comunal de Lucunga, o governo construiu um centro materno-infantil com 18 camas, um banco de urgência, área da puericultura, pediatria, planeamento familiar, pré-natal, área de aconselhamento e testagem voluntária de VIH/SIDA, PAV, entre outros compartimentos. O Bembe vai ainda passar a dispor de um hospital com capacidade para 70 camas, bloco operatório, área de hemoterapia, medicina geral, banco de urgência, armazém de medicamentos e materiais gastáveis, além de outros compartimentos, cujas obras de construção avançam para a fase conclusiva.O sector é assegurado por um médico especializado em medicina geral e 37 enfermeiros, entre técnicos médios e básicos.
Água potável acessível
A população do município consome água potável através de um sistema de captação, tratamento e fornecimento, construído em 2009, no âmbito do programa “Água para Todos”. O sistema possui uma conduta de distribuição e um tanque com capacidade para três mil litros, lavandarias e oito chafarizes. Mais de dois mil habitantes residentes na vila beneficiam do precioso líquido.
Produção agrícola
O chefe da estação municipal para o Desenvolvimento Agrário, Sebastião Laurindo, destacou a criação de Associações e Cooperativas Agro-pecuárias, e a localização de terrenos mais férteis para o fomento agrícola. Sebastião Laurindo avançou que, neste momento, o sector da agricultura está a proceder ao levantamento do número de famílias interessadas em se filiarem nestas colectividades. O objectivo, segundo explicou, é de acelerar a produção e cumprir as obrigações expressas no programa do Governo, que se destinam a combater a fome e a pobreza no seio das populações locais.“As localidades de Lucunga, Vale do Loge e os bairros periféricos da sede do município, são as áreas escolhidas para o relançamento da produção agrícola e, posteriormente, criarmos outras associações na comuna de Quimaria”, disse. No município, avançou que a instituição controla 20 associações de camponeses, sendo três cooperativas agrícolas e duas pecuárias, que albergam, no total, 616 membros, que já procederam à plantação de mandioca, milho, jinguba, feijão-frade, batata-doce e rena, além de hortícolas, num espaço territorial com mais de 45 hectares. Na presente época agrícola foram preparados cerca de 300 hectares de terra. “Os hectares definidos para a presente época agrícola, quando forem concluídos vão garantir uma colheita de cerca 30 toneladas de produtos diversos”, referiu, acrescentando que a falta de sementes agrícolas constitui uma das maiores dificuldades no processo do aumento da produção. “Os associados estão actualmente a realizar uma agricultura manual, facto que poderá contribuir para a baixa produção alimentar”, afirmou.
Algumas prioridades
O administrador municipal do Bembe, José Bunga Alberto, argumentou que a degradação das vias secundárias e terciárias do município tem criado grandes embaraços na circulação de pessoas e no escoamento dos produtos cultivados na região. A aposta da administração é continuar a garantir melhores condições de vida às populações locais, criar abertura de mais postos de trabalho e a promoção de cursos de formação técnica e profissional para a juventude local.O município do Bembe está situado a cerca de 135 quilómetros a Norte da cidade do Uíge. Com uma população estimada em mais de 40 mil habitantes, maioritariamente camponeses, o concelho é subdividido por duas comunas, nomeadamente, Lucunga e Quimaria, 19 regedorias e 118 aldeias. A batata-doce, milho, feijão-frade, banana, ervilha, mandioca, jinguba, laranja, tangerina, abacaxi, café, cana-de-açúcar e hortícolas, são os produtos mais cultivados na região. Bembe possui uma extensão territorial de cerca de 5.350 quilómetros quadrados.

Sem comentários:

Enviar um comentário