domingo, 17 de fevereiro de 2013

Poema a um Militar na Guerra Colonial

Poema a um Militar na Guerra Colonial

Saudade

Caíu a noite
Noite sem lua
Céu sem estrelas para iluminar
Caíu em mim a saudade
Que teima sempre em me acompanhar!
Saudade amiga
Não vás embora
Porque sem ti não sei viver.
Fala-me dele a toda a hora
E dá-me alento para vencer o afastamento
E a ausência daquele amor.
Que guerra fria
De homens sem alma
Levaram um dia do meu calor
Navio lindo, corta a corrente
E vence as vagas do oceano.
Atraca ao cais
Ouve os meus ais
E dá-me aquilo
Que tanto amo.
 
Da autoria da minha amiga Glória Ribeiro.


Sem comentários:

Enviar um comentário