domingo, 11 de dezembro de 2011

Técnicas modernas aumentam a produção

Milhares de hectares de terra foram preparados no Uíge para o
cultivo de diversos produtos no âmbito do programa de combate
à fome
Fotografia: Eunice SuzanaBembe


A introdução, no Bembe, de técnicas modernas na agricultura melhorou a produção de alimentos no município e diminuiu o esforço físico dos que se dedicam àquela actividade, afirmaram camponeses, na abertura oficial do ano agrícola.
O responsável da cooperativa Tuzolana, que recebeu, em nome do grupo, um tractor, alfaias, enxadas, catanas, limas, machados, regadores e sementes diversas, entregues pelo governador Paulo Pombolo, afirmou que os agricultores do município estão satisfeitos com os níveis de produção deste ano.
João Kanga garantiu que os agricultores da região vão continuar a trabalhar para contribuírem no combate à fome e pobreza e que estavam satisfeitos com o que lhes tinha sido oferecido, que lhes permite, em menos tempo e menor esforço, prepararem a terra, plantarem e semearem vários produtos e ter boas colheitas.
Paulo Pombolo anunciou que números do governo provincial mostram que o Bembe se destacou na produção do feijão, batata-doce, mandioca, jinguba e milho.
Vamos continuar a apoiar os camponeses organizados em associações e cooperativas, através do programa de crédito de campanha, que tem permitido que muitos agricultores maximizem a produção agrícola e dêem um contributo mais visível no combate à fome, prometeu Paulo Pombolo.
O governador distribuiu, no município do Bembe, nove motorizadas às associações camponesas Vitória é Certa, Comandante Noé, 4 de Abril e Tuwizana das localidades do Mpambo-à-Matombe, Vale do Loge e das comunas de Lucunga e Quimaria.
Mais terras para cultivo
A administração municipal do Bembe preparou, para a presente época agrícola, mais de 300 hectares de terra, que vão ser distribuídas a cooperativas, associações e famílias de camponeses organizados, segundo o administrador.
Vamos continuar a trabalhar para, em poucos dias, todas as associações locais terem terras prontas para o cultivo, disse o administrador municipal.
A instalação e construção de infra-estruturas escolares e hospitalares em várias regedorias, frisou José Alberto, permitiu a fixação das populações que não poupam esforços na actividade agrícola.
Saúde e ensino
Este ano, referiu, a rede hospitalar melhorou significativamente, com a construção, reabilitação e ampliação de unidades sanitárias em várias localidades.
Com a rede escolar, declarou José Alberto, sucedeu o mesmo, com a edificação de 72 salas.
No próximo ano lectivo, disse, os alunos do ensino primário das localidades de Totó e Lucunga vão ter escolas novas, que são inauguradas antes do fim do ano, para que mais crianças sejam inseridas no ensino.

Sem comentários:

Enviar um comentário